Domingo, 19 Nov 2017
Banner

Usuários Online

Nós temos 67 visitantes online

Usuário cadastrado



   
PDF Imprimir E-mail


Discurso de formatura da Oitava Turma de Administração EaD - UFRuralRJ - 23/08/2013

 

Por Carla Carvalho e Rafael Ruivo.

 

"Boa tarde aos pais, professores, formandos, amigos e demais presentes, no auditório ou na gravação..

Qualquer graduação concluída por um aluno é uma vitória, um momento de grande alegria e conquista. É um dos marcos da vida, no mesmo nível de aprender a andar, tirar a carteira de motorista, dar o primeiro beijo, casar, ter filhos...

Mas se formar pelo Cederj tem um gostinho diferente.  O Cederj não é uma graduação qualquer. É um terreno ainda novo, com uma lógica própria, que a gente vai descobrindo pelo caminho - afinal, não tem tantos veteranos assim antes de nós – essa é só a 16° (?) turma...

Chegar até aqui é um exercício de superação. Superar o vestibular, superar as matérias difíceis, mas principalmente, superar a voz que diz “amanhã eu estudo!” Afinal, aqui não tem professor cobrando, nem colega para emprestar o caderno, e muito menos frequência. A responsabilidade é toda nossa.

Quantas vezes chegávamos em casa, cansados de trabalhar o dia inteiro, e tínhamos AD para entregar? Era tentador deixar pro dia seguinte, e pro próximo, e próximo... até a hora que vencia o prazo e percebíamos que tínhamos 4 trabalhos de uma vez. “No próximo eu vou fazer diferente”, Passava um semestre e pronto, mais quatro ADs vencendo no mesmo dia, e lá íamos nós ficar até tarde da noite estudando e torcendo pra dar tempo!

Isso sem falar em fim de semana de prova. Quantas vezes a gente via o calendário se aproximar, sem ter estudado metade do que vai cair na prova? Isso sem falar que era incrível como sempre tinha uma festinha, um encontros com amigos, aniversários de alguém, até mesmo formaturas... justamente nas semanas que resolvíamos estudar, ou nos dias que tínhamos que dormir cedo pra fazer prova na manhã seguinte! Parecia que o mundo todo marcava comemorações para os dias que tínhamos provas! E aí vinha a vozinha: “amanhã eu estudo...”. “Eu me viro para acordar cedo amanhã”...

Mas uma hora a gente aprende a lição. Na primeira vez que a gente se vê de cara com a apostila e percebe que quem faz o horário é a gente, bate uma tranquilidade. Mas logo a gente aprende a respeitar mais o cronograma. Conforme passavam os semestres, a gente ia aprendendo a controlar prazos, volume de leitura, o quanto conseguimos estudar de uma vez só sem esquecer tudo – método científico puro!

Aprendemos a se persuasivos - convencemos varias vezes nossos familiares a mudar datas de comemoração de aniversários, festas, viagens...  ter flexibilidade no horário da faculdade significa também não poder botar a culpa nela quando não podemos sair! Tivemos que aprender a administrar nosso tempo como ninguém. Conseguimos conciliar trabalho, família, estudo e amigos. Aprendemos a programar nossos estudos pra quando sabíamos que daria tempo, e aprendemos a administrar o tempo necessário para cada matéria.

E essas coisas são alguns dos fatores que fazem do Cederj algo mais que um curso de graduação. O Cederj é uma escola de vida, porque pra muitos de nós aqui é a primeira experiência onde seus resultados dependem exclusivamente da sua organização, DETERMINAÇÃO e FORÇA DE VONTADE. Nós estamos hoje colando grau em Administração, e talvez nenhum curso tenha mais haver com o Cederj do que esse, com o devido respeito às outras graduações. Nós aprendemos muito, muito mais do que Taylor, Faiol, Webber, Ford, entre outros ensinaram. Nós pusemos na prática todas as teorias de motivação, administração de tempo, negociação, planejamento - aliás, a gente nem precisava do estágio obrigatório... somos administradores por profissão e por necessidade!

Mas o Cederj ainda é um curso superior, não é? Nota de prova? Que ansiedade esperando... Será que passei? A AP3 era o mostro esperando quem esquecia AD ou ia mal na AP... e claro que ninguém queria ter mais uma prova para administrar - ficar de final era a tradução de mais noites estudando e finais de semana sem poder sair.

E todo curso superior ajuda a formar amizades, não é não? Mas no Cederj... como assim? Pois é... apesar de tudo o que falamos sobre ser dono do horário, não ter ninguém por perto, também fizemos amigos aqui. E isso é que torna hoje um dia ainda mais especial pra gente. Olhem só, eu conheci [a Carla/o Ruivo] pessoalmente não tem nem uma hora, mas por saber o que [ele/ela] passou, já me sinto amigo desde criancinha. Todos nós aqui olhamos uns para os outros e vemos alguém que sabe exatamente o que é estudar toda a matéria de uma prova na véspera, o que é perder uma AP1 de meio semestre e ter que tirar 10 na AP3, o que é ter que levantar cedo e ir fazer prova “igual concurso”, como nos lembravam pais, avós, amigos...

Aqui poucas pessoas se conhecem, porque são vários polos, com várias grades ao longo do tempo. Mas em cada semestre sempre tínhamos contato com nossos colegas “de sala”. E mesmo sem conviver, aprendemos a dividir experiências,  dar dicas aos mais novos, trocar ideias, e principalmente, incentivar e torcer pela aprovação de pessoas que nunca vimos, e talvez nunca fôssemos ver...

Nós somos a prova real de que o ditado “o que os olhos não vêem o coração não sente” é falso. Porque até o dia de hoje, o rosto de cada um de nós era um endereço de e-mail. E ainda assim eu olho pra esse grupo aqui e vejo meus semelhantes.

E essa própria cerimônia, tudo isso que vocês estão vendo foi planejado, comunicado, votado e decidido pela internet. Tudo por nossa conta, igual à graduação! E eu falo por mim, mas creio que reflito o sentimento geral - planejar, discutir e imaginar esse dia com vocês foi uma honra!

Gostaria que todos vocês olhassem essas pessoas aqui com admiração  e orgulho, porque elas merecem. Cada um deles conseguiu vencer a si mesmo pra chegar até aqui. Vocês foram fantásticos!

Mas saibam vocês aqui no auditório, ou vocês aí vendo a gravação, ou onde quer que estejam, que dessa vitória vocês também fazem parte - quantas esposas, esposos, pais, namorados e namoradas, amigos nos deram forças e suportaram nossas ausências em momentos importantes? E mais, quantos aqui não pensaram em desistir, mas continuaram graças à uma palavra amiga? A compreensão e o incentivo de vocês valeram muito mais do que conseguimos expressar, tanto na hora como agora. Muito obrigado.

Muita gente boa ficou pelo caminho. Não somos melhores do que eles, mas se chegamos até aqui, foi porque aproveitamos a oportunidade que a vida nos deu, acreditamos que esse dia chegaria, e olhamos para a apostila e dissemos “você não me mete medo”!

Pois é galera, vamos sair daqui e vamos ter nosso primeiro documento dizendo que estamos formados. Esses são nossos últimos momentos como formandos... estamos chegando ao fim dessa nossa música – se prestarem atenção, vão ouvir até o solo da guitarra. Mas nossa história continua. Demos um passo importante, mas muitas conquistas ainda virão. O melhor ainda está por vir.

Por todo o resto de nossas vidas, saberemos o que estivemos fazendo no dia 23 de agosto de 2013, mesmo quem não lembrar a data exata. Vamos lembrar de agora para sempre. Vamos lembrar desse dia, e de como Deus nos trouxe juntos até aqui, até Deus nos levar.

De coração, aos pais, professores, formandos, amigos e demais presentes, no auditório ou na gravação, nosso muito obrigado. E aos amigos ausentes, que não podem estar mais aqui, mas que estão em nossos corações, nosso muito obrigado.

...e a todos vocês formandos aí atrás, tem algo que eu ainda quero dizer:

Olá!

Muito, muito prazer em conhecer vocês!"

 

Rafael Ruivo e Carla Carvalho - Alunos EaD - Administração UFRRJ -